BOM RETIRO - Roubo a Banco: "Achei que ia morrer", diz refém de quadrilha de assaltantes

BOM RETIRO - Roubo a Banco:

Foto: Adecir Morais

Uma das quatro pessoas mantidas reféns dos bandidos que atacaram a agência do Bradesco, em Bom Retiro, relata os instantes de horror vividos nas mãos dos criminosos. “Achei que iam me matar”, revela um homem de 36 anos, que pediu para não ser identificado.

O roubo aconteceu na madrugada desta segunda-feira (03). Encapuzados e armados, os criminosos invadiram o banco e explodiram um caixa eletrônico com dinamite. Antes, passaram pela frente do Destacamento da Polícia Militar da cidade e dispararam 16 tiros contra o prédio.

As vítimas estavam em uma caminhonete S10, que foi levada pela quadrilha e usada no roubo. Elas foram rendidas às margens da BR-282, no interior do município, enquanto seguiam o caminho de casa. 

“Paramos para urinar, de repente apareceram eles. Eram quatro homens armados que saíram do mato. Eles levaram a gente para uma plantação de tomate, onde fomos amarrados com cadarço de tênis. Disseram para a gente esperar meia hora para sair, se alguém fosse atrás deles ia morrer”, recorda.

Antes de invadir o banco, a quadrilha atravessou a S10  no portão da base da PM, para impedir a saída dos policiais de plantão. Em seguida, fugiu num Fiesta.

Polícia ainda não tem pistas do criminosos

A Polícia Civil segue com as investigações para identificar os bandidos, mas até ontem à tarde, nenhum suspeito havia sido preso. Policiais da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Lages estão ajudando nas investigações.

Segundo o delegado Raphael Belinatti, que cuida do caso, ontem a polícia começou a ouvir as testemunhas, incluindo os quatro reféns da quadrilha. “Ainda não temos nenhuma pista dos bandidos”, disse.

Correio Lageano

Outras Notícias

PUBLICIDADE