Aos 105 anos falece no Hospital Bom Jesus Irmã Maura

A freira era a mais idosa da congregação das Irmãs Franciscanas de São José

Menos de um mês após completar 105 anos, é com muita tristeza que o Hospital Bom Jesus e a Congregação das Irmãs Franciscanas de São José comunicam o falecimento da Irmã Maria Schuch, mais conhecida como Irmã Maura.

O falecimento ocorreu na manhã desta quinta-feira, 12, na Ala São José do Hospital Bom Jesus onde recebia todos os cuidados necessários.

O corpo de Irmã Maura será velado até as 14h, desta quarta-feira, 12, na capela do HBJ e depois será transladado até a cidade de Angelina, onde nesta quinta-feira, 13, haverá missa de despedida na Capela do Convento das Irmãs Franciscanas, às 14h e depois sepultamento no cemitério da Congregação.

Filha de Maria Schappo Schuch e Antônio Schuch, nasceu em 23 de julho de 1910 em Angelina. Desde cedo aprendeu a lidar com as dificuldades da vida. Aos cinco anos teve que superar a morte de seu pai. Tendo estudado em Florianópolis em sua juventude, a decisão de se tornar religiosa veio em 1930, quando voltou para Angelina.

Logo em 1933 fez sua primeira profissão (antes disso se destacou nos serviços de costura quando postulante e noviça). Foi transferida no mesmo ano para Vargem do Cedro onde passou a lecionar em uma escola.

Em 1948 passou por mais uma mudança, passou a morar em Armazém. Nos anos seguintes lecionou em inúmeras escolas de vários municípios como Tubarão, Angelina, Castro (PR) e Vargem do Cedro. Sempre lecionava em dois turnos e, alem de ter sido membro da direção de algumas escolas, chegou a dar aulas noturnas para adultos.

Em 1960, ano de sua aposentadoria, veio para Ituporanga onde deu doutrina e ajudava na direção de uma escola.  Em 1963 foi para Florianópolis substituir uma irmã hospitalizada em suas funções em um educandário. A passagem pela capital do Estado foi passageira, já que no mesmo ano foi para Corupá e ainda para Armazém (sua terceira passagem pelo município).

Em 1964, o destino a enviou para fora de Santa Catarina. Transferida para São Paulo ministrou catequese em Vila Prudente. Logo depois retornou para o Estado catarinense e também exerceu funções relacionadas a catequese em Brusque e Presidente Getúlio. Em 1969 voltou para Ituporanga para trabalhar na Paróquia Santo Estevão. Na Paróquia se dedicou a catequese e em atividades na sacristia onde desenvolveu funções até 1990.

Já com 80 anos, Irmã Maura se desligou da Paróquia e passou a desenvolver algumas ações no Hospital Bom Jesus. Na unidade hospitalar trabalhou por algum no almoxarifado, fazendo o controle de entrada e saída de estoque de mercadorias. Depois com problemas na visão, se desligou da função e passou a se dedicar a Capela e aos cuidados com as flores que embelezavam os HBJ. Pelas informações ela tinha muita sorte com o cultivo de orquídea ela mantinha um orquidário.

Irmã Maura era a irmã mais idosa da Congregação das Irmãs Franciscanas de São José. Com dificuldades para caminhar, nos últimos meses de vida passava a maior parte do tempo deitada. A idade avançada, também há deixava com dificuldades para abrir os olhos e se alimentar sozinha. Porém, mesmo aos 105 anos ela não sofria com nenhuma enfermidade grave e conservava sua memória intacta, com muita lucidez.

 “É com muito pesar que nos despedimos hoje da Irmã Maura. Tivemos a felicidade de conviver com ela por  todos esses anos. Com toda sua dedicação ela sempre mostrou sua eficiência e seu carisma em todas as funções que exerceu. Sempre com humildade, representando as Irmãs Franciscanas de São José por onde passou. Com certeza ficará a saudade”, destacou Irmã Edelir Stupp, diretora do HBJ. 

Authentica Comunicação Integrada/Sintonia 

 

Outras Notícias

PUBLICIDADE