Alto Vale tem 10 mil títulos de eleitores cancelados

Alto Vale tem 10 mil títulos de eleitores cancelados

Foto: DAV/Reprodução

Que muita gente já está pensando nas eleições de 2016 todo mundo sabe, mas mesmo com toda a movimentação política também existem cidadãos alheios as campanhas e até mesmo ao voto, que é um direito garantido por lei. Prova disso é o alto número de títulos cancelados no Alto Vale, que ultrapassa 10 mil documentos.

O chefe do cartório eleitoral de Rio do Sul, onde 3.959 pessoas tiveram os títulos cancelados, conta que grande parte perdeu os direitos por não ter comparecido nem justificado nas últimas três eleições. “Na verdade contamos mesmo por turnos então o eleitor que não votou três turnos seguidos nem regularizou teve o título cancelado”, explica.

Ele diz que para poder votar no ano que vem o prazo máximo para a regularização é maio de 2015, no entanto é importante se antecipar para evitar filas e não perder benefícios. Moraes acredita que os números na região são preocupantes principalmente porque a pessoa que está com o título cancelado tem restrição de vários direitos. “Ela perde direitos políticos, não pode fazer passaporte, financiamento em bancos oficiais, fazer concurso público e até acesso a algumas instituições, além de outras restrições, então o quanto antes melhor”, comentou.

Para regularizar a situação o eleitor deve ir até o cartório eleitoral de sua cidade onde será expedida uma guia para pagamento da multa que é de R$ 3,50 por turno que ele deixou de votar. Depois ela retorna ao cartório para finalizar o processo.

Títulos suspensos

Além dos títulos cancelados, também há 1.215 títulos suspensos em virtude de condenações políticas e outras situações como interdição, no caso das pessoas que estão incapacitadas. “A suspensão vale principalmente para pessoas que tiveram alguma condenação criminal e enquanto tiverem cumprindo a pena elas não podem votar nem ser votadas. Além disso elas também ficam inelegíveis por um período que varia de 3 a 8 anos, que se conta após a extinção da pena”

Prazos

No momento o chefe da 102ª zona informa que a justiça eleitoral tem priorizado informar os cidadãos que pretendem concorrer às eleições, já que a legislação determina que para se candidatar é preciso ter pelo menos domicílio eleitoral de um ano na localidade desejada. “Então restam poucos dias para se filiar ao partido que deseja e fazer a transferência do título, que vai até o início de outubro”, ressaltou.

Moraes destaca que a movimentação dos partidos já tem sido grande na região de Rio do Sul. “Os diretórios tem nos procurado. Estão se antecipando e vindo analisar a situação dos candidatos e fazendo uma revisão porque o processo político já iniciou”, finalizou.

Helena Marquardt /Diário do Alto Vale 

Outras Notícias

PUBLICIDADE