Alto Vale já registrou mais de 170 incêndios em vegetação neste ano

Desde janeiro até outubro desse ano já foram registradas centenas de ocorrências e preocupação se volta para os dias quentes.

Alto Vale já registrou mais de 170 incêndios em vegetação neste ano

Foto: CBMSC / Reprodução

As queimadas que acontecem no Pantanal brasileiro desde julho deste ano trouxeram grandes reflexões sobre o desmatamento e sobre a ação humana na natureza, mas o problema que parece estar tão longe da nossa região já trouxe efeitos climáticos negativos para o estado e tambémk uma espécie de alerta. Aqui no Alto Vale desde janeiro até outubro deste ano foram atendidos 171 incêndios em vegetação segundo o Corpo de Bombeiros Militar de Rio do Sul.

O tenente coronel Jefferson de Souza, comandante do 15º Batalhão de Bombeiros Militar e Presidente da Câmara Técnica de Incêndio Florestal do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) explica que a maior parte dos focos são causados pela ação humana. “O homem é o principal causador dos incêndios florestais, seja pela ação ou pela omissão. No primeiro caso temos infelizmente os incêndios intencionais, onde o homem tem a intenção de provocar o incêndio. Nos incêndios por omissão ou sem a intenção de provocá-lo, citamos a limpeza de cultivo e pastagens, queima de lixo, fogueiras mal apagadas (pescaria, acampamento, etc.), ponta de cigarro acessa em vegetação, entre outros”, explica.

Nessa época os cuidados se voltam também para a secagem do tabaco, e o comandante revela que os incêndios em estufas de fumo são recorrentes na região. “Esse tipo de incêndio afeta com maior incidência, além do fumo, a estrutura da própria estufa. Podemos dizer que a principal causa dos incêndios em estufas (com sistema de cano de alumínio) é a proximidade ou contato das folhas de fumo com os canos quentes, durante o processo de secagem. Os cuidados vão desde a instalação de sistema de telas que evitem o contato do fumo com os canos quentes, bem como, cuidar para que a temperatura da fornalha (quando o sistema não for de Gás Liquefeito de Petróleo – GLP) não alcance temperaturas muito elevadas, neste caso, controlar a temperatura nas estufas é fundamental, pois podem ocorrer incêndios por radiação, ou seja, não há necessidade de contato da fonte de calor com o combustível, a temperatura é tão alta que o fumo inicia o processo de queima. Também orienta-se para uma manutenção constante do sistema elétrico e que evite-se o contato ou mesmo a proximidade das lâmpadas incandescentes (que produzem muito calor) com as folhas de fumo. Os incêndios em estufa também podem ocasionar incêndios florestais, por estarem localizados em áreas rurais”, orienta.

Na última semana os Bombeiros Voluntários de Vitor Meireles juntamente com a guarnição de Presidente Getúlio atenderam uma ocorrência de incêndio em vegetação na localidade de Rio Denecke II. Segundo informações o fogo não atingiu grandes proporções, aproximadamente um hectare, mas ficava em local de difícil acesso, e com o apoio de populares foi possível realizar o controle das chamas até a chegada do caminhão. Somente nessa ocorrência foram empenhadas aproximadamente três horas de combate e rescaldo para que não houvesse possibilidade de retomada no foco de incêndio.

Na noite dessa quarta-feira (21), a Guarnição do Corpo de Bombeiros de Pouso Redondo atendeu a um incêndio em vegetação no interior do município, foram aproximadamente quatro hectares queimados em uma plantação composta principalmente por eucaliptos e nessa ocorrência foram empenhadas cerca de 1h30 para combate das chamas.

Somente no último sábado (17) os Bombeiros Voluntários de Lontras atenderam três incêndios seguidos em vegetação: um no trevo de acesso ao município, um no bairro Riachuelo e um de grandes proporções no bairro Concórdia que precisou de mais de cinco mil litros de água para o combate e afetou uma área de quatro mil metros quadrados.

 

Provocar incêndio é crime

A Lei de Crimes Ambientais prevê a pena de reclusão de dois a quatro anos, e multa, para quem provocar incêndio em mata ou floresta. É possível realizar uma queima controlada de campo ou de resíduos florestais, desde que seja cumprida a Instrução Normativa nº 30 do Instituto do Meio Ambiente (IMA) do Estado de Santa Catarina. A queimada sem autorização é infração punível com multa de R$1.000,00v

 

Por Diário do Alto Vale

Outras Notícias

PUBLICIDADE