"Se começar a chover e precisar fechar as comportas não vai dar", diz operador da barragem de José Boiteux

Estrutura para contenção de cheias está inativa desde junho de 2014, após invasão dos índios

Enviar no WhatsApp

Foto: Gilmar de Souza / Agencia RBS

Quem não passa perto da barragem de José Boiteux é o operador Vilmar Bueno Castilho, que auxiliava na manutenção do local. Ele foi impedido ir ao espaço desde que o acampamento dos índios Laklãnõ-Xokleng foi montado. 

Vilmar conta que semanalmente as peças eram retificadas e as comportas eram fechadas para evitar falhas no sistema hidráulico. De 15 em 15 dias, um técnico de Rio do Sul checava as bombas: 

– Se começar a chover e precisar fechar as comportas não vai dar. Primeiro toda a estrutura vai ter que passar por uma reforma, e isso leva tempo. Outro perigo é se o painel tiver queimado por causa do excesso de rabicho que os índios puxaram. 

A falta de manutenção de uma estrutura fundamental durante cheias no Vale preocupa o engenheiro hidrólogo do Centro de Operação do Sistema de Alerta (Ceops) da Furb, Ademar Cordero. Nos últimos anos, duas situações colocaram a eficácia da barragem à prova. 

Na enchente de 2011, se não fosse o muro de 58,5 metros, as águas do rio Itajaí-Açu em Blumenau chegariam a 15 metros – ficaram em 13. Em 9 de junho do ano passado, no dia em que os índios montaram acampamento e quando o rio chegou a 10,18 metros, se as comportas não estivessem fechadas o nível subiria a 13 metros. Sem manutenção, ela não entra em operação: 

– A enchente não espera. Se chover três dias aqui na região já podemos ter uma cheia. Além disso, estamos em ano de El Niño e o risco de ocorrer é maior. A previsão é de chuvas, mas o quanto vai chover ninguém sabe e a Defesa Civil precisa tomar uma providência urgente.

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo