Feira do Livro de Rio do Sul recebe cerca de 22 mil visitantes

Em seis dias, o evento recebeu um público regional para 50 atividades artísticas.

Enviar no WhatsApp
Feira do Livro de Rio do Sul recebe cerca de 22 mil visitantes

Feira do Livro de Rio do Sul - Foto Tiago Amado

Foram seis dias de evento, 50 atividades, cerca de 22 mil visitantes e de 6 mil livros e artigos literários comercializados e distribuídos na Feira do Livro de Rio do Sul. A visitação ao evento, realizado de 13 a 18 de setembro, no Parque Universitário Norberto Frahm – Unidavi foi intensa ao longo da semana com a visitação de escolas do Alto Vale.

“A feira recebeu a visita de escolas de quase todas as cidades do Alto Vale do Itajaí. Isso mostra que esse conceito de feira, desenvolvido nesses quatro anos, está consolidado e a tornou o maior evento artístico e cultural da região”, destaca o superintendente da Fundação Cultural, Willian Sieverdt. E ainda participaram visitantes de Blumenau, Brusque, Joinville, Florianópolis e outras cidades catarinenses.

De acordo com o escritor Carlos Henrique Schroeder, um dos participantes, a Feira do Livro de Rio do Sul é a terceira melhor de Santa Catarina. “Fiquei feliz de voltar à região para falar dos meu livros. O Alto Vale é uma terra de escritores. A feira tem um conceito interessante, de ter falas, promover ideias e buscar temas específicos  que venham conversar com a realidade da região”, afirma o escritor.

O evento contou ainda com a presença dos escritores Edney Silvestre, Márcio Vassallo, Demétrio Panarotto, Maicon Tenfen e Alcides Buss, além de sete autores regionais que lançaram livros e fizeram um bate-papo literário. A programação teve teatro, contação de histórias, música, mostra de cinema e oficinas, além dos 15 estandes de livreiros e editoras.

Entre os lançamentos, estiveram também as obras Rio do Sul em Imagens – 2ª Edição e a revista em quadrinhos Índigenas do Alto Vale: O Povo Lãklanõ/Xokleng e a Colonização do Alto Vale. A publicação teve a coautoria de estudantes e professores da Terra Indígena, em Ibirama.

Conversas literárias com Edney Silvestre a Arnaldo Antunes

O jornalista e escritor Edney Silvestre participou de um bate-papo literário e destacou o poder do livro e da cultura. “Só acredito em uma transformação que seja profunda. A transformação profunda vem através do conhecimento. E o conhecimento vem através do livro e da cultura. Isso é o que mudou a minha vida e tem mudado a vida de milhões de pessoas no mundo. E as feiras ajudam porque despertam a curiosidade”, destaca.

Um dos momentos marcantes foi o bate-papo literário de Arnaldo Antunes, mediado por Mário Vassallo, e o show A Casa é Sua. O músico dividiu o Palco Embaixo da Ponte com Chico Salem (violão e guitarra) e André Lima (teclados e sanfona). “O palco ser embaixo da ponte é simbolicamente interessante. As canções são uma boa porta de entrada para a poesia dos livros. O Brasil tem uma tradição de poesia cantada muito sofisticada e isso pode ser uma forma de absorção da poesia que leve as pessoas a descobrirem que ela está também nos livros, nos cartazes, nos vídeos, na internet”, afirmou o músico e poeta.

A Feira do Livro foi realizada pela Prefeitura Municipal, Fundação Cultural e Biblioteca Pública Municipal de Rio do Sul, com a correalização do Sesc e da Associação da Fundação Cultural (Asfuc). A edição 2016 teve o patrocínio do Bradesco e o apoio da Câmara de Vereadores, Unidavi e Associação de Escritores do Alto Vale do Itajaí.

Tiago Amado / Equipe de Comunicação

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo