Quase metade das sementes misteriosas da China analisadas apresentam risco às lavouras do Brasil

Um dos primeiros casos foi registrado em Jaraguá do Sul. Até o fim de outubro, 562 embalagens foram recebidas em todo o país.

Enviar no WhatsApp
Quase metade das sementes misteriosas da China analisadas apresentam risco às lavouras do Brasil

Foto: Gabriel Zapella/ Arquivo Pessoal

Das 36 amostras de pacotes de "sementes misteriosas da China" que já foram analisadas pelo Ministério da Agricultura até o momento, 47% apresentaram algum risco fitossanitário ao Brasil. As informações foram divulgadas na última quarta-feira (25). Jaraguá do Sul foi uma das primeiras cidades brasileiras e a primeira de Santa Catarina a registrar o recebimento. 

Conforme o ministério, até o fim do mês de outubro moradores de todos os estados do país e o Distrito Federal somaram 525 pacotes de sementes recebidos e que não foram solicitados. Conforme matéria do G1, mais materiais continuam em análise no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, em Goiás, e não há previsão de quando o processo irá terminar. 

O governo afirma que os pacotes "supostamente" foram enviados de quatro países asiáticos. Moradores de Estados Unidos e Canadá também registraram casos semelhantes. A suspeita das autoridades é de que seja uma fraude relacionada ao comércio on-line.

Os registros no Brasil ocorrem desde agosto e os pacotes chegam junto com compras feitas pela internet. 

O governo afirma que os pacotes teriam sido enviados por países da Ásia, como China e Malásia, e pela região administrativa chinesa Hong Kong. Porém, a China, por exemplo, nega que tenha feito envios ao país.

O que já se sabe e quais são os riscos? 

- Após avaliação de risco fitossanitário (...) foi identificado que uma amostra continha a espécie Myosoton aquaticum, praga ausente no Brasil e com potencial para ser considerada quarentenária, ou seja, com risco de estabelecimento no país e de causar danos fitossanitários - diz o governo, em nota nesta quarta.

?O ministério afirma que essa espécie é resistente a herbicidas, o que torna seu controle difícil. 

- A introdução dessa planta daninha no país pode ter impacto econômico negativo - afirma a pasta.

As análises realizadas pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, referência em sanidade vegetal, indicam que parte das amostras contêm a presença de mais de uma praga.

Em quatro amostras foram identificadas uma espécie quarentenária ausente – Descurainia sophia – considerada como planta daninha nos Estados Unidos e Canadá, além de planta invasora no México, Japão, Coreia, Chile e Austrália. Já a Myosoton aquaticum é considerada daninha nos campos de trigo da China.

Outras 15 amostras continham gêneros que tem espécies quarentenárias ou espécies com potencial quarentenário, como sementes de Cuscuta; de Brassica; de Chenopodium; de Amaranthus; e dos fungos Cladosporium; Alternaria; Fusarium; e Bipolaris.

O que fazer se receber o pacote com sementes misteriosas? 

A orientação da Cidasc é para que, caso o cidadão não tenha feito nenhuma compra, mas tenha recebido um pacote suspeito, não abra, não semeie e não jogue no lixo. É necessário levar o conteúdo a um escritório da Cidasc ou do Mapa mais próximo para que sejam recolhidas. 

Também está disponível para contato os telefones 0800-644-6510 ou (48) 3665 7300 (WhatsApp), do Departamento Estadual de Defesa Sanitária Vegetal do estado, onde a pessoa poderá solicitar orientações adequadas.

De acordo com a legislação brasileira, todo material de multiplicação vegetal é considerado semente ou muda. A importação de qualquer quantidade destes produtos deve ter autorização do Mapa, mediante solicitação do interessado pela compra.

 

Por Patrícia Della Justina

AN / NSC Total

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo