Granizo atinge o Alto Vale pelo segundo dia seguido; agricultores estimam prejuízos

Lavouras de cebola e tabaco foram atingidas em Aurora, Atalanta e Ituporanga.

Enviar no WhatsApp
Granizo atinge o Alto Vale pelo segundo dia seguido; agricultores estimam prejuízos

Região do Alto Ribeirão Pacas, em Aurora(Foto: Divulgação, Defesa Civil)

 

O Alto Vale do Itajaí registrou chuva de granizo na tarde desta sexta-feira (25), por volta das 14h30min. Foi o segundo dia seguido com o fenômeno em cidades como Aurora, Atalanta e Ituporanga, municípios que têm a agricultura voltada principalmente à cebola e ao tabaco. As defesas civis dos municípios trabalham ainda durante o dia no levantamento dos prejuízos, mas a estimativa é de perda total na lavoura de muitos produtores.

Uma das situações mais complicadas é em Aurora. Por lá a estimativa é de perdas que podem chegar a 1 mil hectares, o que impacta em até 66% da plantação total do município. A Defesa Civil da cidade aponta que, dessa área atingida, cerca de 10% teve perda total durante as chuvas dos últimos dois dias.

– O problema foi a quantidade que caiu por metro quadrado. Isso foi um fator complicador. O tempo caindo granizo foi pouco, mas a incidência foi alta – aponta o coordenador da Defesa Civil de Aurora, Gustavo Rosar, que acompanhará um engenheiro agrônomo nas propriedades durante este fim de semana para fazer um levantamento completo dos estragos.

O agricultor Jelson Gesser, presidente da Associação dos Produtores de Cebola de Santa Catarina (Aprocesc) foi um dos atingidos. Ele explica que a incidência de granizo impacta diretamente na plantação, já que a folha da cebola não pode ser perfurada, o que força o descarte da planta por completo. Conforme Gesser, muitos produtores já relataram perdas completas na lavoura.

– No quesito cebola, Aurora foi gravemente atingida. Fomos surpreendidos hoje (sexta-feira) de novo, com uma nova tempestade. Ainda precisamos fazer um laudo completo nas lavouras, mas com certeza muitas terão 100% de perdas, considerando que a estrutura da folha da cebola não pode ser perfurada por motivo algum – explica Gesser.

 

Registro em Alto Ribeirão Pacas, em Aurora.

Registro em Alto Ribeirão Pacas, em Aurora (Foto: Divulgação)

 

Perdas também em Atalanta

Outra cidade atingida dois dias seguidos por granizo foi Atalanta. O coordenador da Defesa Civil e secretário de Agricultura da cidade, Macionir Waterkemper, diz que até 50 hectares de plantações de cebola foram comprometidos, o que corresponde a 15% de toda a área plantada no município. Além disso, ao menos 7 hectares de tabaco também foram afetados.

– A superprecoce (cebola) já iríamos arrancar na semana que vem. Agora é prejuízo – lamenta.

Ituporanga também contabiliza os prejuízos. O coordenador de Defesa Civil do município, Celso Daniel, afirma que 400 produtores de cebola e fumo foram atingidos, com o problema maior na produção do tabaco. Isso porque agricultores de localidades que ficam no limite de municípios como Aurora e Atalanta foram atingidas por dois dias seguidos.

– O que não morreu ontem (quinta-feira), morreu hoje (sexta-feira) – aponta Celso.

Em Petrolândia ainda não há um levantamento, mas o problema ocorreu principalmente nas localidades de Londrina, Alto Barra Nova, Barra Nova, e em Parte do Rio Galego. Equipes estão em campo para fazer o levantamento dos prejuízos, que será encaminhado à Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra).

 

Granizo atingiu localidades entre Atalanta e Aurora.

Granizo atingiu localidades entre Atalanta e Aurora (Foto: Divulgação)

 

Cidades de SC registram granizo na tarde desta sexta

Uma forte chuva de granizo atingiu Blumenau na tarde desta sexta-feira (25), por volta das 17h30min. Pontos da Região Central registraram o fenômeno com pedras de até 3 centímetros de diâmetro. A chuva foi intensa e durou cerca de cinco minutos. A Defesa Civil de Blumenau recebeu ao menos 40 ligações após o início do temporal, a maioria por destelhamentos.

Outras cidades de Santa Catarina também foram atingidas pelo granizo. Há registro do fenômeno em Gaspar, Apiúna, Indaial, no Norte do Estado, e em Governador Celso Ramos, na metropolitana de Florianópolis.

 

Na Avenida Martin Luther, em Blumenau.

Na Avenida Martin Luther, em Blumenau (Foto: Rodrigo Fruc, Arquivo Pessoal)

 

Por Augusto Ittner

NSC Total

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo