Estado renova programa de incentivo aos cereais de inverno durante Expofeira Nacional da Cebola

Enviar no WhatsApp
Estado renova programa de incentivo aos cereais de inverno durante Expofeira Nacional da Cebola

Foto: Divulgação / Reprodução

 

Durante a 26ª Expofeira Nacional da Cebola, em Ituporanga, ocorreu a assinatura da renovação do Programa de Incentivo à Produção de Cereais de Inverno, destinada a alimentação animal. Na oportunidade, o governador Carlos Moises e o secretário de Estado da Agricultura, Ricardo Mioto Ternus, autorizaram o início do programa, junto ao presidente da Cravil, Harry Dorow e o produtor Heleno Fiabane, representando todos os produtores. 

Neste ano, serão investidos R$ 10 milhões para incentivar o cultivo de cereais de inverno. O Terra Boa dará uma subvenção de R$ 300 por hectare efetivamente plantado com cereais de inverno, num limite de 10 hectares por produtor. “Foi uma grande oportunidade que o governador utilizou na Festa Nacional de Cebola de assinar uma nova proposta para o cereal de inverno. Nós que iniciamos esse projeto, e conseguimos evoluir muito com Estado no ano passado, queremos incentivar ainda mais o plantio de inverno e com mais recursos, temos certeza que nosso produtor vai aderir”, explicou o presidente da Cravil, Harry Dorow. 

O secretário de Estado da Agricultura, Ricardo Mioto Ternus, reforçou que o programa de incentivo à produção de cereais de inverno teve um ótimo desempenho na região de atuação da Cravil e que deve expandir neste segundo ano também para outras regiões. “Alcançamos em 2021, 4 mil hectares cultivados, nosso objetivo é chegar a 20 hectares, não só no Alto Vale, mas em todas as regiões do estado. Esse programa é uma semente que foi semeada e temos a plena convicção que será uma política de estado que pode ajudar a diminuir o déficit de milho em Santa Catarina”. 

O grande esforço do Estado para aumentar o cultivo de cereais de inverno se dá pelo imenso consumo de milho das cadeias produtivas de carnes e leite. Só no ano passado, a parceria entre Estado, Cravil e o Pamplona Alimentos gerou um movimento econômico no inverno de mais de R$ 50 milhões. 

Outra característica importante dos cereais de inverno é a conservação do solo, além de ser uma safra a mais para o produtor, o plantio de trigo ou triticale, prepara o solo para a safra de verão. O produtor Heleno Fiabane, de Palmeira, que fez o plantio de trigo no ano passado se disse satisfeito com o resultado econômico já no primeiro ano de cultivo e destacou a diferença que sentiu na soja. “Nós notamos diferença porque a soja que estava dando mais perca é a soja do cedo, e essa soja que foi plantada depois do trigo sentiu menos a seca pela palhada, pelo trabalho de solo que o trigo deixou, pela adubação que foi feita e por ela ter sido plantada mais tarde. Então a gente vai antecipar um pouco o plantio do trigo esse ano, aumentar um pouco a área, justamente para fazer uma janela de plantio maior”. 

Para se habilitar ao projeto, os produtores rurais devem procurar as cooperativas agropecuárias participantes do programa, a Cravil é uma delas, para manifestar o interesse em fazer a semeadura de cereais de inverno. Cooperativas e casas agropecuárias fornecem as sementes e insumos para o plantio e o produtor realiza o pagamento ao final da safra, quando entrega os grãos e recebem o subsídio por hectare cultivado. 

Os grãos entregues pelos produtores às cooperativas são destinados às agroindústrias e fábricas de ração instaladas no Estado. Além disso, haverá uma cota de recursos disponíveis para o incentivo à produção de silagem com cereais de inverno nas propriedades rurais. 

A Expofeira Nacional da Cebola foi realizada de 7 a 10 de abril, no Cerro Negro, em Ituporanga. 

 

Por Assessoria de Comunicação 

Cravil

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo