Inédita em Santa Catarina, fuga de presos por helicóptero já foi realizada em outros Estados

Inédita em Santa Catarina, fuga de presos por helicóptero já foi realizada em outros Estados

Foto: Salmo Duarte / A Notícia

 

Após a confirmação de que o helicóptero que caiu em Joinville na tarde de quinta-feira foi alvo de sequestro, a Polícia Federal assumiu as investigações para apurar a motivação do crime. A principal hipótese levantada até agora é que a aeronave seria utilizada para fazer o resgate de um detento do presídio de Joinville.

Segundo detalhou o colunista Diogo Vargas, os policiais apuram se o preso que seria resgatado estava aguardando em uma área a céu aberto da unidade prisional. Pelas investigações, o helicóptero pousaria no local durante o período que ele teria para receber visitas.

Caso seja confirmado, o caso se tornará inédito em Santa Catarina. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado confirmou que não há registros de fuga ou tentativa utilizando helicópteros ou aeronaves na história catarinense, o que torna o caso ainda mais surpreendente.

Mas essa forma de fuga já foi utilizada em outros Estados. O caso mais famoso é o resgate do traficante de drogas José Carlos do Reis Encina, o Escadinha, do presídio da Ilha Grande (RJ) em 1985. Segundo arquivo do jornal O Estado de São Paulo, a unidade tinha segurança máxima e o acesso por mar e terra eram praticamente impossíveis, já que a Ilha tinha barreiras naturais e o uso do automóvel era vetado por não existirem estradas.

A fuga foi tão marcante na época que deve virar filme. Um dos fundadores do Comando Vermelho, facção criminosa criada no próprio presídio de Ilha Grande, Escadinha terá a sua história retratada nas telonas nos próximos anos, após uma produtora conseguir que o filho do traficante cedesse os direitos para produção do longa-metragem. O criminoso morreu em 2004, após entrar para o regime semiaberto e deixar a prisão.

Outra fuga realizada de helicóptero ocorreu em Guarulhos no ano 2002. Conforme notícia d’O Estado de São Paulo, os criminosos também sequestraram uma aeronave e em seguida pousaram no Presídio José Parada Neto, onde capturaram dois detentos. O piloto foi ameaçado para levar os passageiros até um campo de futebol, local que tinha três veículos aguardando pela fuga dos criminosos.

No ano passado, criminosos planejaram realizar o resgate do líder de uma facção preso no município de Charqueadas, no Rio Grande do Sul. Ao menos dois homens contrataram o serviço de um helicóptero em Canela, renderam o piloto e exigiram que o avião pousasse em um sítio no município de Triunfo. Os criminosos adaptaram a capacidade de carga externa do helicóptero para que realizasse o resgate no ar, inclusive com possibilidade do fugitivo usar colete à prova de balas. No entanto, o plano foi abortado e a polícia encontrou o helicóptero equipado no sítio.

 

Por Gabriel Lima

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE