SC e RS se mobilizam para que Caminho dos Cânions do Sul ganhe certificação da Unesco

SC e RS se mobilizam para que Caminho dos Cânions do Sul ganhe certificação da Unesco

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

 

Rio Grande do Sul e Santa Catarina firmaram uma carta de intenções conjunta para que a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) reconheça o Caminho dos Cânions do Sul como um Geoparque Mundial. O documento, entregue ao consultor da Unesco José Patrício Melo, é um primeiro passo para obter a certificação. A região reúne uma área de 2.830 quilômetros quadrados em sete municípios dos dois Estados. 

 

 Cambará do Sul, RS, BRASIL . Canyon do Itaimbezinho. Na foto, paisagens e flora e fauna do parque Nacional Aparados da Serra. (Roni Rigon/Pioneiro)

Geoparques são áreas geográficas unificadas, com patrimônios geológicos e paisagens de

relevância internacional (Foto: Roni Rigon / Agencia RBS)

 

Os geoparques são áreas geográficas unificadas, com patrimônios geológicos e paisagens de relevância internacional. Os membros do órgão internacional trabalham com foco em sustentabilidade, preservação, proteção e envolvimento das comunidades locais. Com o reconhecimento da Unesco, a projeção é que o turismo na região seja beneficiado. 

Segundo o secretário de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul, Victor Hugo, a próxima etapa é a formalização da candidatura, que depende do governo federal. Para o secretário, a carta de intenção é importante porque mostra a aproximação institucional dos dois Estados interessados.

— Se colocarmos (o Caminho dos Cânions) na rede mundial, estaremos agregando um diferencial competitivo ao turismo. Toda a região será beneficiada — afirma.

Enquanto o secretário ainda é cauteloso em relação a prazos para o processo de certificação, o prefeito de Torres e presidente do Consórcio Intermunicipal Caminho dos Cânions do Sul, Carlos Alberto de Souza, está mais otimista. Ele estima que o reconhecimento possa ocorrer em três anos:

— O sentimento que a gente tem dos órgãos reguladores é muito positivo, pelo que eles encontraram aqui. Os cânions são maravilhosos.

De acordo com o prefeito, ainda há algumas exigências a serem cumpridas, como levantamentos históricos, instrução da comunidade sobre os cânions e capacitação de professores para trabalhar o assunto em sala de aula. Souza explica que o consórcio tem R$ 400 mil à disposição, em recursos dos municípios, para desenvolver essas atividades. 

Os municípios que integram esse consórcio são Cambará do Sul, Mampituba e Torres, no Rio Grande do Sul, e Morro Grande, Timbé do Sul, Jacinto Machado e Praia Grande, em Santa Catarina.

No mundo, há 127 geoparques da Unesco em 35 países. Um deles é no Brasil, o Geopark Araripe, no Ceará.

 

Por Flavia Noal

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE