Presidente da Cidasc teme queda nas exportações no Estado

Presidente da Cidasc teme queda nas exportações no Estado

Foto: Angélica Lüersen / Especial

 

As exportações de carne do Brasil, que neste ano já caíram 7,5% no frango e 17% no suíno, em relação ao primeiro bimestre do ano passado, devem ser impactadas pela Operação Trapaça, que investiga fraudes laboratoriais da BRF.

Principalmente porque os laudos envolvem salmonela e a União Europeia proíbe qualquer tipo desta bactéria. Desde o ano passado algumas plantas já não exportam para os europeus, houve redução nos volumes e o Brasil tentava uma retomada aos patamares próximos de 400 mil toneladas/ano.

– Isso vai impactar e vamos viver um ano muito difícil. Depois da Operação Carne Fraca aumentou muito a burocracia, com novas exigências e agora, com mais essa operação sem dúvida vai trazer prejuízo para o setor – avaliou.

Barbieri disse que ninguém é contra as operações da Polícia Federal mas considera que, no episódio da Carne Fraca, houve um exagero nas divulgações e isso trouxe graves consequências para o setor.

Ele acredita que as empresas terão que se adaptar pois o mercado não vai absorver um aumento de produção com queda das exportações.

– O consumo interno não consegue absorver pois o consumo ainda não se recuperou e é inevitável que haja uma redução na produção ou senão as agroindústrias poderão acumular prejuízo – sentenciou.

Santa Catarina responde por 23% das exportações de frango e mais de 40% das exportações de suínos. No ano passado o faturamento destes dois setores em vendas externas foi  de US$ 2,6 bilhões.

 

Por Darci Debona

Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE