Advogado é indiciado por tentar comprar bebês em Camboriú

Polícia aguarda laudos de perícias feitas em computadores e celulares do indiciado que podem resultar em novas fases da investigação.

Advogado é indiciado por tentar comprar bebês em Camboriú

Revólver foi apreendido com indiciado em Camboriú (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

 

Um advogado foi indiciado por tentar comprar bebês recém-nascidos por R$ 5 mil em Camboriú, no Litoral Norte catarinense, para vender a famílias interessadas em adoção, divulgou a Polícia Civil nesta segunda-feira (7). Ele foi preso em flagrante foi por porte ilegal de um revólver calibre 38 modificado para uso restrito, mas solto no dia seguinte, disse o delegado Maurício Pretto.

“A juíza que analisou o caso entendeu que ele deve responder em liberdade pelo indiciamento após a tentativa de comprar bebês de grávidas e mães de recém-nascidos. Duas mães nos contaram que ele tentou comprar as crianças. Os casos chegaram ao nosso conhecimento em 2016, mas ocorreram em 2014 e 2015”, explicou Pretto.

O advogado é suspeito de prometer ou efetivar a entrega de filho a uma terceira pessoa mediante pagamento ou recompensa, previsto no artigo 238 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), com pena de reclusão de um a quatro anos, além de multa.

De acordo com a polícia, os bebês preferidos eram os de pele branca e olhos claros. O advogado morava em Itajaí, tinha um escritório em Balneário Camboriú, mas teria praticado os crimes em Camboriú.

Embora o inquérito tenha sido concluído, a polícia ainda aguarda o resultado de laudos de perícias em computadores e celulares. “Temos muitas provas contundentes que me permitem concluir o inquérito, como filmagens, gravações e documentos. Após a análise dos laudos periciais, poderemos chegar a outras fases da investigação” relatou o delegado.

Segundo Pretto, o advogado dizia às mães que os bebês seriam entregues a famílias ricas do Rio de Janeiro. “Ele prometia que as crianças estudariam em escolas caras, viajariam à Disney. Não fomos informados sobre compras que tenham de fato ocorrido, mas essas duas mães relataram terem sido abordadas pelo indiciado”, contou.

 

Por G1 SC

Outras Notícias

PUBLICIDADE