100% dos municípios de Santa Catarina com áreas de risco mapeadas

Nesta terça-feira (5) a Defesa Civil do Estado entregou o mapeamento de áreas de risco de 100% dos municípios do Estado.

100% dos municípios de Santa Catarina com áreas de risco mapeadas

Foto: Divulgação

 

O Governo do Estado, através das secretarias de Defesa Civil e Planejamento, deu um grande passo para a segurança dos catarinenses. Nesta terça-feira (5), foi realizada a entrega do mapeamento de áreas de risco de 100% dos municípios do Estado. A ação contou com a parceria da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) e identificou as áreas suscetíveis à inundação e movimentação de massa.

 

“A ideia é que o projeto atenda demandas que vão além da Defesa Civil do Estado, como o uso pelo municípios e outras áreas de planejamento e gestão territorial”, disse o engenheiro cartográfico da SPG, Thobias Leôncio Rotta Furlanetti.

 

O Mapa de Setorização é apenas a primeira parte do diagnóstico de risco a ser desenvolvido no Estado. No total foram investidos cerca de R$ 4,7 milhões. O projeto compreende a elaboração e entrega de cartas de suscetibilidade, mapeamento de perigo e risco baseado na metodologia desenvolvida com o governo japonês no Projeto Gides (Projeto de Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada de Riscos e Desastres) e modelagem de suscetibilidade.

 

“É um marco, o mapeamento de todos os 295 municípios, sendo o primeiro Estado da federação a realizar esta ação em parceria com a CPRM”, destacou o secretário da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli. Segundo ele, é um importante recurso para o desenvolvimento dos instrumentos de planejamento urbano, para atuação em cenários críticos e para o conhecimento da população ciente de que riscos ela está exposta. “Já somos o primeiro estado a ter cobertura de radares, seremos o primeiro a ter cobertura de satélite em tempo real. E agora também com instrumentos que irão definir onde estão os riscos, para que a gente possa proteger a população”, completou.

 

A identificação dos riscos geológicos e hidrológicos, especialmente em áreas habitadas, permitirá a ação preventiva, através da elaboração ou correção dos planos diretores evitando ocupações irregulares. Da mesma forma, para as áreas de risco já habitadas a emissão de alertas mais precisos protegendo a vida da população.

O mapeamento de risco integra os instrumentos básicos do Plano Diretor. A Secretaria de Estado da Defesa Civil vai lançar dentro de 60 dias o Sistema Integrado de Defesa Civil. Dentro desta ação, um aplicativo móvel  vai possibilitar que  todo cidadão tenha conhecimento sobre os riscos que está exposto no local onde reside.

 

Por Diário do Alto Vale 

Outras Notícias

PUBLICIDADE