Exportações de SC caem 3% em fevereiro e interrompem sequência de altas

Exportações de SC caem 3% em fevereiro e interrompem sequência de altas

Frigorífico em SC (Foto: Plínio Bordin / Fiesc)

 

Os embarques catarinenses ao exterior alcançaram R$ 594 milhões em fevereiro, uma queda de 3% em comparação com o mesmo mês no ano passado, segundo dados do Ministério da Indústria e Comércio Exterior (MDIC) divulgados nesta semana. Em relação a janeiro houve estabilidade, com incremento de 0,45%. No país, houve crescimento interanual de 11,9%.

A queda no Estado foi puxada pelas vendas de carne suína, que encolheram 8,8%, e são o segundo principal protudo da pauta de exportações catarinense. A carne de aves, que lidera a pauta, registrou estabilidade no paralelo com 2017, incremento de 0,4%. Dos cinco principais produtos, a maior alta foi do tabaco (88%).

As importações do Estado, por outro lado, cresceram 43,8% em relação ao mesmo mês do ano passado, aproximando-se de US$ 1,2 bilhão, dando continuidade à ampliação observada desde 2015. Entre os produtos que mais pesaram nas importações, a maior alta foi de instrumentos para medicina (125,9%), seguidos por polímeros de etileno (75,6%). No comparativo com janeiro, houve queda de 7,3%. O comportamento foi semelhante em nível nacional, com aumento de 13,7% frente a fevereiro de 2017, e queda no comparativo com janeiro de 2018, de 12,6%  

Os embarques aos Estados Unidos, principal destino das vendas de SC ao exterior, tiveram avanço de 16,8% em relação a fevereiro de 2017, impulsionado por partes de motor. Já quanto à China, segundo país mais importante para o comércio exterior catarinense, houve recuo de 21%, influenciado pela soja. Estados Unidos, China e Argentina respondem por mais de um terço das vendas externas do Estado. As vendas para a Argentina tiveram alta de 18,6%, associada ao papel.

 

Por Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE