Figueirense vence o Fluminense e garante a permanência na Série A

Figueirense vence o Fluminense e garante a permanência na Série A

Foto: Marco Favero / Agencia RBS

No sufoco, o Figueirense escapou do rebaixamento no Brasileirão. Venceu o Fluminense por 1 a 0, com mais um gol salvador de Marcão, e se manteve na elite graças ao empate do Avaí contra o Corinthians. Uma tarde de festa no Orlando Scarpelli. Confira abaixo como foi o jogo:

Marcão, o salvador

Assim como em outros jogos da temporada, o atacante Marcão saiu do banco de reservas para ser o salvador do Figueirense. Desta vez, não nos minutos finais, como ocorreu contra Galo e Botafogo, ambos pela Copa do Brasil, e Vasco, pelo Brasileirão. Foi no terceiro minuto do segundo tempo. O jogador, que recém havia entrado no gramado do Scarpelli, entrou na área pelo lado esquerdo, cortou para dentro e finalizou para o fundo da rede. Festa do torcedor alvinegro!

Gols na Arena alteram os ânimos no Scarpelli

Empolgada pelo gol de Marcão, no começo da etapa final, a torcida alvinegra levou um susto pouco depois. Claudinei abriu o placar para o Avaí sobre o Corinthians, na Arena. O resultado combinado voltava a colocar o Figueira no Z-4. Clima de apreensão no Scarpelli. Até que Vagner Love empatou para o Corinthians, aos 32 minutos do segundo tempo, o que voltou a livrar o time do Estreito. Festa de novo no Scarpelli!

Furacão derruba tabu favorável ao Flu

Havia 12 jogos pelo Campeonato Brasileiro que o Figueirense não vencia o Fluminense. A última vez havia ocorrido em 14 de maio de 2006, no Scarpelli, também por 1 a 0. Tabu quebrado.

O jogo

Com mais posse de bola (58% no primeiro tempo), o Figueirense teve as mesmas dificuldades de jogos anteriores: na armação e na conclusão de jogadas ofensivas. Só conseguiu atacar em bolas aéreas na área do Flu. Thiago Heleno, aos 24 minutos, Carlos Alberto, aos 30, e Bruno Alves, e aos 38 e aos 40, cabecearam sem levar perigo ao goleiro Júlio César.

Faltou pontaria (de novo)

Outra deficiência que o Alvinegro repetiu no primeiro tempo: a falta de pontaria de Carlos Alberto. O meia lembrou a atuação contra o Atlético-MG, no Scarpelli, em que desperdiçou chances cara a cara. Aos 20 minutos da primeira etapa do jogo diante do Flu, aproveitou rebatida da zaga e chutou da pequena área, de frente para o gol, mas pegou mal e mandou a bola para fora. No segundo tempo, o time pressionou mesmo depois de abrir o placar. Thiago Heleno encheu o pé e acertou o travessão, aos 27 minutos.

Carlos Alberto, mais sorte do que juízo

Experiente, o meia Carlos Alberto (foto acima) quase deixou o Figueira na mão em um momento importante. Aos 42 minutos do primeiro tempo, entrou com o pé alto em dividida com o lateral-esquerdo Léo Pelé. Acertou o joelho do jogador adversário com a sola do pé. Levou só amarelo, mas poderia ter sido expulso. O atleta do Flu deixou o campo chorando e foi substituído. Carlos Alberto seguiu em campo, ajudou o Figueira a ficar na elite e se emocionou ao fim do jogo.

FICHA TÉCNICA:

FIGUEIRENSE 1

Alex Muralha; Leandro Silva, Bruno Alves, Thiago Heleno e Marquinhos Pedroso; Fabinho, João Vitor (Marcão), Yago e Carlos Alberto (Dener); Dudu e Clayton.

Técnico: Hudson Coutinho.

FLUMINENSE 0

Júlio César; Wellington Silva, Ygor Nogueira, Artur e Léo Pelé (Jonathan); Pierre (Robert), Edson, Cícero e Gustavo Scarpa; Marcos Junior (Lucas Gomes) e Magno Alves.
Técnico: Eduardo Baptista.

Gol: Marcão (Fig), aos três minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Marcos Junior, Robert Edson e Lucas Gomes (Flu); Carlos Alberto, Marcão, Thiago Heleno e Marquinhos Pedroso (Fig).
Arbitragem: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA), auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP).
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.
Público total: 16.402 pagantes.
Renda: R$ 183.370,00.

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE