Vendas do comércio catarinense crescem 16,4% em agosto

Vendas do comércio catarinense crescem 16,4% em agosto

Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

 

O mês de agosto manteve a tendência de recuperação do comércio varejista catarinense. Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira pelo IBGE, o comércio em Santa Catarina apresentou uma variação positiva de 16,4% no volume de vendas em agosto na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Esta é a décima variação positiva e a mais alta entre todos os estados. Em seguida, aparece o Acre, com variação de 12,9%. Em termos de receita nominal, nesta mesma comparação, a variação foi positiva em 13,8%.

Fatores como a liberação do saldo inativo do FGTS, o mercado interno consolidado, com menor informalidade no Estado, e a retomada do emprego provocam esta recuperação consistente. 

— Santa Catarina já é o estado que mais recuperou as vendas em 2017 no Brasil. Nos primeiros oito meses do ano, o crescimento foi de 13,5% quando comparado com o mesmo período do ano passado. É verdade que a base de comparação é baixa, já que o ano de 2016 foi muito ruim, mas o segundo colocado, o estado do Alagoas, apresenta um resultado positivo de 7,7%, bem abaixo do nosso — pondera o economista da Fecomércio SC, Luciano Córdova.

Em base de comparação, o acumulado de 12 meses, o volume de vendas do comércio varejista restrito (sem atividades de material de construção e veículos) apresentou variação de 8,5%, acima dos 6,9% do mês anterior. É a taxa mais alta desde junho de 2012 e novamente o melhor resultado entre todas as unidades da federação. Quanto à receita nominal, a variação de setembro de 2016 a agosto de 2017 é de 11,6%, acima do resultado de 11,1% do mês anterior.

Entre os segmentos, a maior alta nas vendas se deu no setor de hipermercados e supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo: 28,4% a mais que agosto de 2016, e eletrodomésticos, com 18,1%. Por outro lado, houve forte queda no segmento de tecidos, vestuário e calçados (-8,4%) na comparação com agosto de 2016.

Segundo o economista, outro ponto positivo é que em agosto a recuperação começou a dar sinais de expansão para todos os segmentos, visto que apenas móveis e livros continuam apresentando resultados negativos no acumulado de 12 meses. Porém, o crédito ainda permanece escasso, o que não torna viável ainda uma recuperação plenamente consolidada. Até o mês de julho, a recuperação estava concentrada nos segmentos de supermercados, com a desinflação dos alimentos, e pelo segmento de equipamentos e materiais de escritório, que aponta a retomada dos investimentos na economia catarinense.

Cenário nacional

Para o Brasil, o comércio varejista restrito registrou alta de 3,6% no volume de vendas em relação ao mesmo mês do ano passado. Esta foi a quinta variação positiva consecutiva após 23 taxas negativas seguida nessa base comparativa. Nesta mesma comparação, a variação da receita foi positiva em 1,3%. Já no acumulado de 12 meses, o resultado fechou com queda de 1,6% e a receita nominal atingiu 2,3%. 

 

Por Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE