Grupo paramilitar russo promete controlar troca de carícias em público durante a Copa do Mundo, diz jornal

Grupo paramilitar russo promete controlar troca de carícias em público durante a Copa do Mundo, diz jornal

Foto: Roberto Scola / Agencia RBS

 

Um grupo paramilitar de cossacos deve patrulhar as ruas de Rostov, cidade onde a Seleção Brasileira fará estreia na  Copa do Mundo, para impedir que casais homossexuais troquem carinhos em públicos durante o mundial. A informação foi publicada pelo jornal russo The New Times na segunda-feira (4). 

Segundo a publicação, ao menos 300 membros do grupo devem agir na tentativa de impedir o que classificam como "propaganda homossexual aos menores de idade", proibindo que pessoas do mesmo sexo se beijem ou até andem de mãos dadas pela cidade. 

– Se virmos dois homens se beijando, diremos à polícia e caberá a ela decidir o que fazer _ informou o líder da organização, Oleg Barannikov.

Ainda de acordo com o The New Times, o grupo é ligado ao presidente russo, Vladimir Putin, e é conhecido pela violência. 

Além de Brasil e Suíça, no dia 17, Rostov receberá outros quatro jogos da Copa, incluindo um válido pelas oitavas de final. 

 

Por GaúchaZH
Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE