Devolução da Câmara de Rio do Sul promoverá o 1º Mutirão de Castração de Animais Abandonados

Valor devolvido pela Câmara de Rio do Sul, será usado em mutirão de castração e balança para setor de obras.

Devolução da Câmara de Rio do Sul promoverá o 1º Mutirão de Castração de Animais Abandonados

Foto: Elisiane Maciel/DAV

 

A Câmara de Vereadores de Rio do Sul já economizou neste ano, mais de R$ 1 milhão do montante repassado do Executivo. Geralmente, a devolução acontece no fim de cada ano e cabe ao prefeito decidir sobre o uso do montante. Porém, nesta quarta-feira (16), no plenário da Câmara Municipal de Rio do Sul, houve uma antecipação de devolução, onde R$ 100 mil economizados já foram entregues ao Executivo.

Desta vez, a totalidade dos vereadores sugeriu dois destinos para este valor, e o prefeito José Thomé, aprovou a solicitação. Será adquirido uma balança para o setor de obras da prefeitura de Rio do Sul, principalmente para que seja pesado o lixo produzido mensalmente na cidade, que gera cerca de 1.200 toneladas. Com a aquisição, o município economizará com a terceirização do serviço até então feito em Otacílio Costa, e poderá fiscalizar melhor.

“Isso surgiu porque temos o papel fundamental de fiscalizar e nós temos um dos maiores contratos do municípios, que é o lixo. Um volume e valor muito grande ao mês. E nessa situação a gente observou na época que não se tinha um controle efetivo principalmente na pesagem, pelo fato de ser pesado em Otacílio Costa sem nenhum acompanhamento nosso. Então surgiu a ideia de adquirir a balança, e estou desde o ano passado junto ao Executivo trabalhando. E agora tivemos a felicidade da Câmara de Vereadores presidida pelo James dar esse valor simbólico para a aquisição”, disse o vereador e ex-presidente da Casa, Francisco Goetten de Lima, o Chico.

O saldo resultante da compra, auxiliará a pagar o primeiro mutirão de castração de cães e gatos abandonados no município, esterilizando 300 animais, em parceria com a União das Associações de Bairros de Rio do Sul (UABRS) e a Associação Protetora dos Animais Desamparados (APAD). “Isso vai amenizar justamente o problema de animais abandonados. O Correio deixou de atender cerca de 70 ruas no município. A APAD faz o trabalho e bem feito por sinal, mas ela não tem mais estrutura, nem sede, nem voluntários para atender toda essa demanda. Então a União de Bairros entrou em um grupo de trabalho com a Prefeitura, Câmara, APAD, pra que a gente buscasse soluções para amenizar o problema”, contou o presidente da União das Associações de Bairros de Rio do Sul, Marco Aurélio Demarch.

O presidente da Câmara, James Rides da Silva, enfatizou que esta economia é fruto da gestão responsável deste órgão público de uma forma geral. “Nós temos demonstrado desde o ano passado que quando discutimos assuntos ou tomamos alguma decisão que é pro coletivo estamos sempre de mãos dadas. Esse gesto beneficia toda a população do município. Toda a Câmara está comprometida em economizar. Buscamos tomar as decisões em conjunto e levando em conta dados técnicos e, assim, fazemos mais gastando menos”, afirmou.

De acordo com o vice-presidente da Câmara, Fernando Cesar Souza, o Nandu, a expectativa é que nesse ano se supere a quantia economizada do ano passado, de cerca de R$2 milhões e 300 mil. Além disso, disse que esse dinheiro entregue nesta quarta-feira “será aplicado em duas situações importantes trará benefícios à população justamente por ser uma necessidade que se tinha”, disse.

Sobre o Mutirão

O mutirão vai ocorrer nos dias 7 e 8 de julho no pátio da Escola de Educação Básica Luís Ledra (Taboão) e no pátio do posto de combustíveis Bela Aliança, e tem o objetivo de controlar a natalidade de animais nas ruas da cidade incentivando a posse responsável. A castração é uma cirurgia simples, mas necessita de alguns cuidados dos donos para evitar complicações. No momento do cadastro, os proprietários recebem orientações sobre posse responsável e cuidados pré e pós-operatório.

“Esse mutirão de castração vai sem sobra de dúvidas gerar saúde pública, pois esse animal na rua vai transmitir doenças, muitas vezes transtornos e é uma questão de segurança também, eficiência para o Correio trabalhar, é toda uma situação de uma série de serviços à população que pode ser melhorada”, completou Thomé.

 

Por Elisiane Maciel

Diário do Alto Vale

Outras Notícias

PUBLICIDADE