Rio do Sul/Equibrasil salva match point e vira para cima do Brasília

Equipe volta ao quinto lugar na Superliga e mantém uma série de 9 vitórias em 10 jogos em casa.

Rio do Sul/Equibrasil salva match point e vira para cima do Brasília

Foto: Rio do Sul Vôlei / Divulgação

Foi suado e na garra. De novo. Rio do Sul/Equibrasil venceu o Terracap/Brasília Vôlei na noite desta terça-feira (16) em Santa Catarina por 3 sets  2 (25/22, 23/25, 21/25, 26/24 e 15/9) e “toma” a quinta colocação na tabela da Superliga do adversário. Foi um jogo de altos e baixos do time catarinense, mas que mostrou que as substituições ao longo da partida fizeram toda a diferença. A levantadora Luciana, por exemplo, fez uma partida incrível e recebeu o troféu Viva Vôlei.

Rio do Sul/Equibrasil começou o jogo da mesma forma como vem trabalhando sempre nas últimas rodadas. Agressivo, explorando os contra-ataques e ataques poderosos de Helô, Ju Nogueira e Vanessa. Mesmo com um pequeno susto com a levantadora Giovana que sentiu dores no tornozelo durante a parcial, a equipe da casa explorou bem o calor da torcida e fechou a primeira parcial na frente.

Na segunda parcial, as visitantes voltaram melhores para quadra. Se Helô começou a ter dificuldades com o bloqueio. O time de Brasília vinha com toda a experiência de Paula Pequeno. Abrindo margem de quatro pontos no set, Brasília foi lentamente caminhando para vencer o set. Rio do Sul até esboçou uma reação e chegou a empatar em 23 a 23. Mas as visitantes fecharam em duas bolas de contra-ataque.

No terceiro set, Rio do Sul/Equibrasil foi perdendo seu poder de ataque e o Brasília se aproveitou da situação. Juliana Paz como oposta começou a por fogo no jogo pelo lado das donas da casa, mas a reação esbarrou em bons bloqueios do Brasília. Mas no quarto set uma virada espetacular das rio-sulenses graças ao ímpeto de Juliana Paz e Isabela, que também entrou muito bem, fez com que o time levasse a partida para o tie brake.

Para o desempate, tudo deu certo para Rio do Sul/Equibrasil. Incrivelmente a equipe abriu 8 a 2 na parcial e levou com muita cautela a decisão. Mesmo com o time de Brasília reagindo aos poucos, foi difícil segurar a bela vantagem. A noite terminou com a vitória e a garantia de mais dois pontos na classificação para as catarinenses.

O jogo cadenciado, muitas vezes equilibrado mas sem grande favoritismo das donas da casa foi o diferencial para que Rio do Sul/Equibrasil assumisse o protagonismo que lhe cabe. Para a central Mimi Sosa, o time foi tão guerreiro, salvando match point no quarto set, que não seria possível ver a vitória escapar. “Fizemos um jogão! Muito bom pelo que apresentamos no primeiro e no quarto set e na hora da verdade do desempate. O time mereceu muito a conquista”, explicou.

Para o técnico Spencer Lee, o jogo foi de uma emoção só. “A gente nunca deixa de acreditar que a vitória é possível. É uma combinação de coisas muito grande: torcida, jogadoras, reservas, talvez um pouco de sorte. Mas não estamos tendo sorte plenamente. É competência. É trabalho duro e dedicação. Acho que as meninas são merecedoras desse resultado e dessa campanha que estamos fazendo”, observou.

A Superliga não para. Nesta sexta-feira (19), a equipe enfrenta o Pinheiros/Klar pela décima rodada do returno. A partida será às 19h30 no ginásio Henrique Vilaboim, em São Paulo (SP). E fechando o returno, as catarinenses voltam a jogar apenas no dia 4 de março, contra o Dentil/Praia Clube. O jogo será em Rio do Sul, às 21h30.

Clóvis Eduardo Cuco / Assessoria de Comunicação 

Outras Notícias

PUBLICIDADE